quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Um negro pobre e um negro rico colocam o STF e STJ numa sinuca de bico

Ao reproduzir a matéria abaixo procuramos levantar uma série de situações de infrações cometidas por pobres da raça negra que de certa forma foram exemplarmente punidos.

Enquanto isso temos um ministro envolvido numa avalanche de denúncias no Ministério de Esportes e o processo de blindagem por partes de correligionários do PCdoB foi intenso e ainda assim o ministro não resistiu a pressão e a cobrança para explicar tantos desvios e até mesmos como sua esposa e cunhado teriam recebido verbas em ONG de Campinas SP.

Observe-se que não estamos julgando o Ministro Orlando Silva mas pretendemos que alguém à luz da sabedoria jurídica explique para pobres mortais esse tratamento diferenciado proporcionado para um negro rico e os rigores da lei destinados ao um pobre.

Há quem diga que o judiciário tem problemas sérios para tratar a ponto da corregedora nacional de Justiça da ministra Eliana Calmon, fazer duros ataques a seus pares ao criticar a iniciativa de uma entidade de juízes de tentar reduzir o poder de investigação do CNJ (Conselho Nacional de Justiça). 27 de Setembro de 2011 - 16:11

Ministra acusa: Justiça sofre com "bandidos de toga"

Este ano, houve uma guerra velada que colocou em lados opostos Eliana Calmon e o presidente do CNJ e do STF, ministro Cezar Peluso. O CNJ começou a funcionar em 2005 e já condenou 49 magistrados. Recentemente, porém, ministros do Supremo concederam liminares suspendendo decisões do CNJ que determinavam o afastamento de magistrados.

http://www.adjorisc.com.br/jornais/obarrigaverde/atualidade/ministra-acusa-justica-sofre-com-bandidos-de-toga-1.942857

O advogado Eduardo Varela diz:

Eduardo Varela - Advogado
O judiciário está,lento,concursos viciados que perpetuam as famílias no poder.Um Ministério público, que não tem subordinação e faz o que quer e uma O.A.B. omissa que cobra uma fortuna dos associados "reféns" para ser uma fogueira das vaidades e nada faz para mudar toda sorte de crimes praticados no judiciário.Vejam o ministro que soltou o banqueiro em 48 horas, durante o fim de semana.



http://www.paulopes.com.br/2008/09/casos-de-juzes-implacveis-com-pobres.html#ixzz1bvXDiYyi

A disparidade é tanta e nos assombra esse tratamento diferenciado para com os pobres que numa pesquisa encontramos situações extremamente incompreensíveis como o caso abaixo, característica de crime famélico.

No país do mensalão, mulher está presa por furtar um pote de manteiga

Doméstica presa há 4 meses por roubar um pote de manteiga! Esse país tem jeito?


Gente, esse país tá perdido mesmo...

Uma empregada doméstica está presa há 4 meses por tentar roubar um pote de manteiga de um supermercado, no valor de R$3,10...

Será que vão esperar acontecer como com a outra mulher, que foi presa por roubar um shampoo, e ficou 6 meses na cadeia, sendo agredida e vindo a perder um olho?!!

Enquanto isso se discute que sabor é a pizza do mensalão...

A notícia:

http://noticias.terra.com.br/brasil/...EI5030,00.html   



Esse país tem ou não tem jeito?

O que leva uma promotoria a pedir reiteradamente a prisão de uma pessoa assim?

O que leva um juíz a manter uma pessoa assim presa?

Se ela tivesse pego uma arma, dado um tiro na cara do caixa do supermercado, de repente já ia estar na rua (tendo um bom advogado...)

Esse mundo tá virado ou eu que estou?
 
http://www.htforum.com/vb/showthread.php/26357-Dom%C3%A9stica-presa-h%C3%A1-4-meses-por-roubar-um-pote-de-manteiga!-Esse-pa%C3%ADs-tem-jeito 

Nenhum comentário:

Postar um comentário